O amor são tontas coisas

Trecho do livro

Michel de Oliveira estreia na Poesia com a mesma força de dizer e mostrar com que tem estabelecido sua assinatura na narrativa de ficção e na fotografia brasileira.

Juliana Blasina

Fora de estoque

Favoritar
Favoritar

Dados técnicos

Título: O amor são tontas coisas
Autor: Michel de Oliveira
ISBN: 978-65-5681-046-1
Edição: 1ª
Dimensões: 14×21 cm
Páginas: 72
Gênero: Poesias
Ano: 2021

Sobre o livro

Michel de Oliveira estreia na Poesia com a mesma força de dizer e mostrar com que tem estabelecido sua assinatura na narrativa de ficção e na fotografia brasileira. Em O amor são tontas coisas, o poema é também um objeto visual com o qual o poeta compõe o espaço e desdobra a palavra, numa estética concreta contemporânea, com humor e profundidade. Seus temas atravessam o corpo, o desejo e tudo aquilo que dele transborda, afinal o amor é líquido e pede o gole, o porre, o mergulho sensorial completo, como nos versos do poema “Bauman não sabe do amor”:

 

A ebulição do sangue
faz a carne sólida
eu deságuo
você me bebe

Amor só cresce
em solução aquosa
(…)

 

Convém que se leia com sede.

 

Juliana Blasina

Sobre o autor Michel de Oliveira

É escritor, fotógrafo, artista visual, jornalista e doutor em Comunicação e Informação pela UFRGS. Autor de O sagrado coração do homem (Moinhos, 2018 – finalista do Prêmio Açorianos) e de Cólicas, câimbras e outras dores (Oito e Meio, 2017 – fin alista do Prêmio Sesc e da Maratona Carreira Literária); participou das antologias Como tudo começou: a história e 35 histórias dos 35 anos da Oficina de Criação Literária da PUCRS (ediPUCRS,2020) e Qualquer ontem (Bestiário, 2019).

Você também pode gostar de…